Items filtered by date: September 2017

Seu João Gomes. Trecho do documentário Xaxado - A dança de cabra macho. Mostra o xaxado em suas várias formas através do olhar do Grupo de xaxado Cabras de Lampião. Com depoimentos de diversas pessoas contemporâneas de Virgolino Ferreira, contam um pouco do que viram na época do cangaço. Direção de Camilo Melo. CAMMAR ÁUDIO&IMAGEM.

Publicado em Vídeo
Friday, 22 September 2017 00:00

Memória de João Gomes de Lira - parte 8

Em 1951, o Sr. Coronel Pedro Holanda Cavalcante, Comandante do 3º Batalhão, recebeu do Comandante Geral da Polícia Militar do Estado, Sr. Coronel Roberto Pessoa, ordens para que à noite daquele dia Coronel Pedro de Holanda, mandasse realizar em seu carro, um serviço de patrulhamento na cidade do Recife por existir boatos de que os Comunistas iriam pinchar as ruas à noite.
João Gomes de Lira foi escalado juntamente com o soldado José Bezerra da Silva, filho natural de Triunfo.
O serviço foi realizado com roupa civil e o carro com chapa particular. A ordem dada pelo Coronel Holanda era que caso encontrasse alguém pinchando as ruas, derramasse o piche nos seus rostos. O itinerário, seguir era: Torre, Madalena, Estrada dos Remédios, Largo da Paz, Estância, Areias e Tejipió. Determinou que o serviço fosse iniciado às 21:00 h e fosse até às 04:00 h. No patrulhamento não houve anormalidade, e o Coronel Holanda, ficou muito satisfeito quando o seu motorista relatou todo desenrolar do serviço executado, por João Gomes de Lira e o soldado José Bezerra da Silva, onde na manhã seguinte foi ao gabinete avisou que um dia iria se encontrar.
Neste ano de 1951 iria haver eleições municipais em todo Estado. E por ter o Dr. Pedro Malta, juiz de Direito da Comarca de Inajá, inimigos na Mata Grande(AL), que juravam de morte, por precaução o mesmo afastou-se da Comarca tirando férias e licença Prêmio. Concluída a licença, apresentou-se no Tribunal onde recebeu ordens para seguir à sua Comarca. Lá deveria fazer os registros dos candidatos a prefeito e vereadores, pois o prazo estava esgotando-se. Dr. Malta, narrou sua história o Presidente do Tribunal  mandou falar com o Governador do Estado, Dr. Agamenon Magalhães. Este após ouvir o juiz encaminhou-o para Arcoverde e, que lá ao chegando chamasse o escrivão do Cartório de Inajá, Luiz Soriano Lopes Ferraz, para que ele ali fizesse os registros dos candidatos. O juiz descordou do governador por Arcoverde ser muito distante de Inajá, só que ele precisava de garantia policial, como seja: 1 Cabo e dois soldados. O Governo concordou e pediu que o mesmo sugerisse o nome do Cabo. Ao sair do Palácio deparou -se na Rua do Imperador com os Políticos de Inajá, João Inocêncio, Coronel Leobaldo de Coronel Manoel Neto, este candidato Prefeito de Inajá, foi logo falando que o Governador havia pedido o nome de 1 Cabo e dois soldados para seguirem com ele para o sertão.
Os políticos indicaram o nome de João Gomes de Lira e dali mesmo o o Dr. Pedro Malta voltou para o Palácio para informar ao Governo que já tinha um nome do Cabo, imediatamente o Governo entrou em contato com o Comandante Geral da Polícia Militar, Roberto Pessoa, deixar o Cabo João Gomes de Lira a disposição do Sr. Dr. Juiz de Direito, juntamente do duas praças. Tudo resolvido o Dr. Malta seguiu para o sertão com o Cabo João Gomes de Lira e os soldados Manoel Heráclito da Silva (florestano) e Francisco Wilson Dourado, filho do município de Pedra. Viajaram de trem até Arcoverde, pernoitaram em Merim (hoje ibimirim). Na manhã seguinte falou para o Dr. Malta o melhor seguisse logo para Inajá. O mesmo não concordou por temer complicações. O cabo João Gomes de Lira continuou insistindo e o Dr. Pedro Malta terminou cedendo. Chegando em Inajá, fez os registros dos candidatos, ficando para eleição e apuração. Tudo resolvido voltaram para o Recife, onde o Dr. Pedro Malta mandou um ofício para o Coronel Holanda fazendo altos elogios aos policiais que o acompanharam em uma missão tão espinhosa. O ofício foi publicado em Boletim.                  

Publicado em História

Floresta  
QUINTA-FEIRA Dia 12 de Outubro de 2017
19h – Noite Solene de Abertura Praça do Batalhão de Floresta
Centro Histórico - Floresta

19h20min – Formação da Mesa de Autoridades
19h30min – Hino Nacional Cerimonial
ANA GLEIDE SOUZA LEAL
19h35min – Apresentação do Cariri Cangaço
Por: GERALDO FERRAZ e JULIANA PEREIRA
19h45min - Fala das AutoridadesMANOEL SEVERO
PREFEITO RICARDO FERRAZ
20h05min - Entrega de Diploma ao Município de Floresta
Por: RAUL MENELEU E MANOEL SERAFIM
20h10min – Entrega de Títulos "Amigo do Cariri Cangaço"Por: EDVALDO FEITOSA E PROFESSOR PEREIRA
20h20min - Posse dos Novos Conselheiros Cariri Cangaço
Por:JORGE REMIGIO E NARCISO DIAS
20h40min - A Importância e o Legado do Batalhão
LEONARDO GOMINHO
GERALDO FERRAZ
MARCOS DE CARMELITA
21h00min - Coquetel de Abertura  PEDRINHO VILARIM
CECÍLIA DO ACORDEON

Floresta 
SEXTA-FEIRA Dia 13 de Outubro de 2017 
8h30min – Saída para Fazenda Favela
9h30min – Visita Guiada a Favela
10h - Conferência"O Fogo da Favela"MARCOS DE CARMELITA E CRISTIANO FERRAZ
12h00min - Almoço em Floresta
12h45min- Lançamento dos Cordéis Cariri Cangaço
FRANCISCO DE ASSIS A.S.
15h00min - Visita Guiada e Comentada
 ao Patrimônio Histórico de Floresta
VAVÁ PAULINO - AMÉLIA ARAUJO - BETINHO NUMERIANOJOÃO LUIZ - LEONARDO GOMINHO - ANA GLEIDEFÁTIMA ROCHA - MAZINHO - TOINHO BARBEIRO
BATALHÃO DE FLORESTA
CASARIORUA DOS COITEIROSIGREJA DO ROSÁRIOCONFRARIA DO ROSÁRIO
MEMORIAL CONCEIÇÃO CAHÚCORÊTO DA PRAÇAESPAÇO CULTURAL JOÃO BOIADEIRO
ESPAÇO BODEGA 
19h00min - Câmara Municipal de FlorestaSessão Solene de Concessão do Título de Cidadão de Floresta a
MANOEL SEVERO GURGEL BARBOSA
19h45min - Entrega de Homenagens do Cariri Cangaço
POR: FRANCIMARY OLIVEIRA E MÚCIO PROCÓPIO

20h00 - Lançamentos
"Lampião em 1926"LUIZ RUBEN BONFIM
" Dos Mitologemas na Imortalidade do Passado Lampiônico"VERLUCE FERRAZ
"Lampião na Historiografia de Sergipe"ARCHIMEDES MARQUES 

20h30min - Conferência"Missa do Vaqueiro: Uma História de Fé, Amor e Tradição"HELENA CÂNCIO
Presidente da Fundação Padre João Câncio
MESA:JUNIOR ALMEIDAIVANILDO SILVEIRA
JOÃO DE SOUSA LIMA


Nazaré do Pico 
SÁBADO Dia 14 de Outubro de 2017 
8h30min – Saída para Nazaré do Pico
9h00min – Solenidade de Boas Vindas
Comunidade de Nazaré do Pico
Escola Municipal Domingos Soriano Souza
Escola Estadual Terezinha Lira
Banda Nelson Barros da Rosa

9h10min - Hasteamento do Pavilhão Nacional
9h15min - Fala das Autoridades
PREFEITO RICARDO FERRAZ
VEREADOR PEDRO HENRIQUE NOVAES LIRA
MANOEL SEVERO
9h30min - Entrega de Diploma a Nazaré do Pico
MABEL NOGUEIRA, LUIZ FERRAZ FILHO e RUBELVAM LIRA
10h00min - Visita a propriedade Poço do Negro(Segunda morada de Virgulino Ferreira)
Descerramento da placa dos 100 anos do Umbu-cajá(Árvore plantada pelos irmãos Ferreira).
11h00min -  Rodada de conversa:PEDRO FERREIRA, MANOEL ISIDORO e Pesquisadores
12h00min - Almoço Dançante e Exposição de Fotos Clube de Nazaré do Pico.
13h30min - Entrega de Diploma às EscolasDomingos Soriano Souza e Terezinha LiraJAIR TAVARES E RANGEL ALVES DA COSTA
14h00min - Homenagem Póstumas aos Nazarenos Mortos por Lampião
Local: Monumento Praça Pública.
Resgate Histórico
HILDEBRANDO NOGUEIRA -"NETINHO FLOR"Valsa Ave MariaTADEU MENEZES
Polícia Militar de Pernambuco.
15h00min – Roteiro no Rastro da História NazarenaVisita às Residências dos Nazarenos e Monumentos da Vila.
NANCY DE SOUZA NOGUEIRA - RUBELVAM LIRA - MABEL NOGUEIRA  
EMANUEL NOGUEIRA - NETINHO FLOR
JOSÉ NOGUEIRA - ULISSES FLOR - EDVALDO GOMES DE SÁ
17: 00 h – Encontro na Igreja e Cortejo ao Cemitério Local"Por Quem os Sinos Dobram..."Homenagem do Cariri Cangaço aos Nazarenos Mortos e Sepultados no Campo de Batalha
17h30min – Encerramento com Homenagem ao Cariri Cangaço FAMÍLIA JOÃO GOMES DE LIRA 


Floresta
DOMINGO Dia 15 de Outubro de 2017

9h – Confraternização nos salões do Floresta Hotel Forró Pé de Serra
RecepçãoGFEC-Grupo Florestano de Estudos do Cangaço

 

Cariri Cangaço Floresta - Centenário de Nazaré 2017FLORESTA - NAZARÉ DO PICO , Pernambuco
Realização:INSTITUTO CARIRI DO BRASIL
PREFEITURA MUNICIPAL DE FLORESTA
Apoio Institucional: SBEC- SOCIEDADE BRASILEIRA DE ESTUDOS DO CANGAÇO
GFEC-GRUPO FLORESTANO DE ESTUDOS DO CANGAÇOGECC-GRUPO DE ESTUDOS DO CANGAÇO DO CEARÁ
GPEC-GRUPO PARAIBANO DE ESTUDOS DO CANGAÇO
ICC - INSTITUTO CULTURAL DO CARIRI
GRUPO LAMPIÃO, CANGAÇO E NORDESTE
GRUPO O CANGAÇO
GRUPO OFICIO DAS ESPINGARDAS
GRUPO HISTORIOGRAFIA DO CANGAÇO

 

Publicado em Revista
Wednesday, 20 September 2017 00:00

Memória de João Gomes de Lira - parte 7

Em 1947 no mês de agosto, João Gomes de Lira foi nomeado Comissário de Frexeiras, município de Escada, porém não chegou assumir o Comissariado, pois foi para o 2º Batalhão na Capital (Recife). Meses depois foi transferido para o 3º Batalhão, onde foi classificado Cabo Armeiro, da 2ª Companhia de 3º Batalhão, o Comandante era o Capitão Horácio Pereira (Horacinho) e Lourival Ferraz Barbosa era Sargentiante. João assumiu toda carga e responsabilidade da Companhia.
Um dado importante foi no ano de 1949 a transcrição de um carta do Coronel Manoel Neto para o Coronel Viriato Medeiros, Comandante Geral da Polícia Militar de Pernambuco. 


Tenente Coronel Manoel de Souza Neto

Sr. Coronel Viriato de Medeiros,

 

Ao me afastar da atividade da Polícia Militar, por circunstâncias de caráter nitidamente pessoal, deixando inúmeros companheiros de jornada, que ombro a ombro combateram comigo tenazmente o cangaceirismo em Pernambuco e nos demais estados vizinhos sem que me tivesse surgido uma oportunidade para recompensá-los de modo geral, deixei entre eles o Cabo Nº 187 da Companhia do 3º Batalhão, João Gomes de Lira, um dos que integrando a minha família juntamente com o seu genitor e mais dois irmãos não se negou a combater os malfeitores chefiados por Lampião, desde da sua juventude enfrentando prejuízos pessoal e material, derramando o seu suor e debilitando à sua saúde em longas caminhadas através de mais 4 Estados. Venho por meio desta apelar para o vosso sentimento de reconhecimento e justiça, pedindo-lhes a sua promoção para o 3º Sargento, ato que praticado considerarei a última homenagem que pude prestar a um daqueles que ajudaram a vencer os obstáculos mais difíceis que a ocasião de enfrentar. Quero antecipadamente agradecer a V. Sa. as provas de atenção e consideração que me dispensou quando na atividade e mais ainda venhaa dispensar ao meu último pedido. Respeitosamente subscrevo-me humildemente servidor.

                      Tenente Coronel Manoel de Souza Neto 

No entanto, o Coronel Viriato por motivos políticos não atendeu a solicitação do Cel. Manoel Neto. Este era simpatizante da UDN (União Democrática Nacional) e o Coronel Viriato do PSD (Partido Social Democrático). Morreu o Cel. Manoel Neto com esta mágoa, pois sempre comentava.

 

 

Publicado em História
Tuesday, 19 September 2017 00:00

Memória de João Gomes de Lira - parte 6

No dia 7 de março, em Sítio dos Nunes, João Gomes de Lira recebeu um telegrama do Major Manoel Neto, comunicando que no dia anterior (06/03) haviam promovido ao posto de Cabo da Esquerda, por merecimento. Por ordem superior foi recolhido ao Batalhão da Capital (Recife).
No dia 6 de junho, João Gomes de Lira foi nomeado Comissário de Polícia do 2º Distrito de Merim(atualmente Ibimirim), na época Município do Moxotó.
O delegado da época era o Sargento Aberlado Argentino Calumbí. No dia 8 de julho, foi exonerado do cargo, mas no dia (09/07) um dia depois, o ato foi tornado sem efeito, devido a interferência do Coronel Nélson Leobaldo de Morais, político do município do Moxotó.
No dia 01 de outubro, João G. de Lira foi nomeado Comissário de Polícia da cidade de Lage (atual Jatiúca), município de Triunfo, o Delegado de Polícia de Triunfo era o Sargento Cipriano de Souza.
Em 05 de dezembro de foi nomeado Suplente de Comissário de Polícia do 1º Distrito da Cidade Flores, era Delegado de Polícia o Sargento Aureliano de Souza Nogueira (Lero).
    

Publicado em História

João Saturnino, filho do 1º inimigo de Lampião, Zé Saturnino, narra momentos da vida de seu pai em briga com Lampião.

Publicado em História
Monday, 18 September 2017 00:00

Memória de João Gomes de Lira - parte 5

Em 1943, na época da 2ª Grande Guerra Mundial, João Gomes de Lira foi afastado do seu trabalho na casa das ordens para fazer o reforço na Estação Central (Great-Western) no Recife. Passado o movimento da guerra, voltou a Casa das Ordens.
Em 1945 no mês de outubro, voltou a destacar em Flores, onde passei a servir em Sítio dos Nunes sob o comando do Sargento Aureliano de Souza Nogueira (Lero). No mês de novembro o município ficou muito agitado com o movimento político UDN e PSD. Candidatos a Presidência da República Brigadeiro Eduardo Gomes e Eurico Gaspar Dutra. Então o Dr. Rubem Benvindo Ferreira, juiz de direito da Comarca, dirigiu em ofício ao Delegado de Polícia do município, Sargento Zacarias Moura de Oliveira, solicitando-me ao Juiz e recebo ordens para garantir o seu trabalho, principalmente no Cartório. No dia 4 de março de 1946, o juiz viajou para o Recife, havendo o retorno para Sítio dos Nunes,. Durante o tempo que passou em Flores nada de anormal aconteceu.

 

Publicado em História
Friday, 15 September 2017 00:00

Memória de João Gomes de Lira - parte 4

O ano de 1933 e 1934, João Gomes de Lira teve dois destaques. Em 1933 foi destacado para Betânia, sob o comando do Sargento Aureliano de Souza Nogueira (Lero) e 1934 na cidade Jatobá (Petrolândia), um Sr. pediu ao Tenente Manoel Neto, um relato histórico da vida de Lampião. Em Nazaré, o Tenente incumbiu o Sr. Luiz Soriano Lopes Ferraz, para atender a solicitação. Este colocou o saldado Francisco Marcionilo de Sá (Chiquinho). Após o trabalho concluído, João Gomes de Lira tirou uma cópia e juntou com anotações que já tinha sobre o cangaço.
Sempre teve o cuidado de anotar informações de pessoas idôneas principalmente seus parentes, que há anos combatia e perseguiam Lampião. Foi quando foi dado início à sua pesquisa sobre Lampião.
No Movimento Revolucionário Comunista de 1935, ficou aguardado ordem do Sargento Lero em Betânia, onde foi permanecido até o término do movimento. Em 1938 João Gomes de Lira foi transferido para a cidade de Flores, onde passou a servir no Destacamento de Carnaíba, no mesmo comando do mesmo Sargento Lero, que passou a ser Comissário de Carnaíba. No mês de julho foi recolhido ao Batalhão da Capital, onde passou a ser empregado na sala das ordens do Batalhão como auxiliar de escrita.
No ano 1939 conheceu sua esposa Gisélia Crasto Amaral, filha de Sr. João de Oliveira Amaral, comerciante no bairro de Água Fria, Recife, e de Maria Lúcia Crato Amaral.

 João Gomes de Lira e sua esposa Gisélia Amaral de Lira 

Em 1943 casou-se com Gisélia Amaral, havendo do matrimônio os filhos: Rubelvam, Maria Lúcia, Luciana, Ruberval, Clóvis, Gomes, Hamilton, Cláudio, Gisélia Filha, Luciene Cristina e Cristiana. Tem mais de 30 netos e 5 bisnetos. 

Publicado em História
Thursday, 14 September 2017 00:00

Memória de João Gomes de Lira - parte 3

No ano de 1931, o Interventor Federal do Estado da Bahia, Capitão do Exército, Juraci Magalhães, solicitou ao Dr. Carlos de Lima Cavalcanti, Interventor Federal no Estado de Pernambuco, o envio das forças pernambucanas, para perseguir e combater o bandido Lampião, e seu grupo. De Pernambuco, seguiu incansável 2º Tenente Manoel de Souza Neto, juntamente com 40 praças, para enfrentar o bandido Lampião, no grande Estado baiano, na famosa Raso da Catarina, ou Raso do Inferno, como muitos soldados Volantes a chamava.
Com 12 dias de alistado o praça João Gomes de Lira, foi designado para seguir naquela Força Volante.


O Interventor Federal do Estado da Bahia, Juracy Magalhães


O Interventor Federal do Estado de Pernambuco, Carlos de Lima Cavalcanti


Paisagem do Raso da Catarina, área em que a Força de Nazaré perseguiu
Lampião

João Gomes de Lira começou a partir de então a guardar tudo na mente a respeito de Lampião. No dia 6 de setembro de 1931, aconteceu o primeiro combate com Lampião  e seu grupo, que era composto de 55 a 60 bandoleiros, isso se verificou na Fazenda Aroeiras, no Estado da Bahia.  Lampião mostrou forte resistência porém abandonou o campo de luta, deixando marcas de sangue em vários lugares, enquanto a Força Volante nada de anormal aconteceu.
João Gomes de Lira sofreu muito, passando fome e sede, muitas vezes comia coroa de frade, quente como fogo para poder sobreviver.  Depois de de realizar muitas e muitas viravoltas, nas caatingas baiana, o Tenente Manoel Neto, regressou a Pernambuco.  


Coronel Manoel Neto - Comandante da Força Volante de Nazaré

Em Jatobá, onde hoje era a Petrolândia velha, coberta pela hidrelétrica de Itaparica no Rio São Francisco, o Coronel Manoel Neto e sua Força Volante de Nazaré, passou um mês descansando e logo retornou a Bahia. 
Em 1932 no mês de janeiro, João Gomes de Lira foi transferido da Força Volante do Tenente Manoel Neto para a Força Volante do Sargento Davi Gomes Jurubeba, com sede em Belém do São Francisco. Em seguida foi transferido também pela Força Volante do seu irmão, Cabo Manoel Gomes de Lira, com sede em Floresta, seguindo para a capital Recife, com destino ao sul do país (São Paulo), onde iria combater iria combater os rebeldes que se levantaram contra o Presidente da República Getúlio Vargas. Só que ao chegar no Recife, adoeceu e não pode seguir o destino, onde teve que retornar ao sertão. Recuperado, foi incorporado a Força Volante do Sargente Antônio Calmon, com sede em Floresta, dias depois passou a servir a Força Volante do Sargento Antônio Ribeiro, também em Floresta.  

Publicado em História
Wednesday, 13 September 2017 19:51

Bodódromo de Serra Talhada

O melhor Bode de Serra Talhada no melhor ambiente da região, Aberto de Terça Feira a Domingo das 11 hs às 16 hs.
Rua Jose Alves da Silveira, 1085 - Enfrente ao Supermermecado Pajeú vizinho a Compesa. Nosso Cardápio Alem do Bode, temos Picanha Bovina e Suina, Maminha, Fraldinha, Patinho, Carne de Sol, Camarão

Publicado em Região
Page 1 of 4

Nazaré do Pico é o 3º DSobreistrito de Floresta, no Estado de Pernambuco. Seu acesso é na rodovia PE-390 que interliga as cidades de Serra Talhada e Floresta. Nazaré fica a 54 km de Serra Talhada e 45 Km de Nazaré.

Galeria de Fotos