nazaredopico

Homenagem ao dia Intenacional da Mulher

Escrito por charles.lira
Categoria:

Dizem que a mulher é o sexo frágil
Mas que mentira absurda
Eu que faço parte da rotina de uma delas
Sei que a força está com elas

Vejam como é forte a que eu conheço
Sua sapiência não tem preço
Satisfaz meu ego se fingindo submissa
Mas no fundo me enfeitiça

Quando eu chego em casa à noitinha
Quero uma mulher só minha
Mas pra quem deu luz não tem mais jeito
Porque um filho quer seu peito
O outro já reclama a sua mão
E o outro quer o amor que ela tiver
Quatro homens dependentes e carentes
Da força da mulher

Mulher, mulher
Do barro de que você foi gerada
Me veio inspiração
Pra decantar você nessa canção

Mulher, mulher
Na escola em que você foi ensinada
Jamais tirei um dez
Sou forte mas não chego aos seus pés

Copa Rural de Serra Talhada: NFC perde a chance de ir a grande final

Escrito por charles.lira
Categoria:
NFC - Nazaré Futebol Clube

Em jogo válido pela Copa Rural de Serra Talhada e precisando ganhar no placar mínimo, à equipe do Nazaré Futebol Clube jogando em casa, não consegue superar o time do Flamengo do Bom Sucesso e com um placar final de 0x0, é insuficiente já que no primeiro confronto foi derrotado pelo placar de 2x1. Para o Flamengo só resta comemorar a passagem para a grande final com o seu maior rival local, o Santos de Bom Sucessol.

Cariri Cangaço: Que Venha o Centenário de Nazaré

Escrito por Manoel Severo, Curador do Cariri Cangaço
Categoria:
O Botton comemorativo do Centenário de Nazaré

Após os contatos e reuniões de trabalho do Cariri Cangaço nos municípios de Água Branca, Delmiro Gouveia e Piranhas em Alagoas e Floresta em Pernambuco, a Caravana Cariri Cangaço chegava na manha da terça-feira de carnaval ao Distrito de Nazaré, também em Floresta, para alinhar os principais pontos do evento que se unirá aos festejos do Centenário de Nazaré.
A atual Nazaré do Pico, já foi Carqueja, que já foi Nazaré. A vila que nasceu da antiga fazenda Algodões, foi o resultado de um sonho do filho do professor Domingos Soriano Ferraz, "Manu" ; que via nascer naquele lugar uma vila. Dali até a realização do sonho foi rápido. Ao sonho se uniram outros jovens e entre esses, os filhos de João Flor, era agosto de 1917 quando foi inaugurada a primeira feira de Nazaré.
Depois dos primeiros embates entre os "filhos de Zé Ferreira" com Zé Saturnino, a família mudou para os arredores de Nazaré, já estamos em 1919 e a fazenda Poço do Nêgo era a nova morada do futuro rei do cangaço. Dali para frente o conflito entre Virgulino e seus irmãos com o povo de Nazaré só aumentaria e viria a se tornar uma verdadeira saga, envolvendo mais de 100 integrantes do afamado vilarejo que entraram na luta contra o cangaço.

Nazaré mais uma vez recebia a Caravana Cariri Cangaço para reuniões de trabalho, desta vez a Celebração do Centenário de Nazaré, dentro do Cariri Cangaço Floresta 2017. Manoel Severo, Manoel Serafim, Archimedes e Elane Marques, Louro Teles, Amélia Araujo, Rubelvan e Lucinha Lira e Nancy Nogueira, Ingrid Rebouças, Heldemar e Micheline Garcia, protagonizaram o encontro que definiu as prioridades do evento e as linhas principais que deverão nortear a programação.
Retornar a Nazaré é sempre um grande privilégio, não só por toda a história que ali se guarda, mas pela grande amabilidade de seu povo. A cada passo, a cada casa visitada, a cada abraço, a cada sorriso e palavra nos sentimos "parte da família", todos sempre solícitos e prontos para compartilhar conosco um pouco da valorosa historia de seus recentes ancestrais.
Chegar a Nazaré e apenas participar de uma reunião de trabalho na direção de construirmos o Cariri Cangaço que se unirá aos festejos do Centenário da Vila mais famosa do cangaço não foi e nunca será suficiente, não se pode chegar ali sem que se percorra todo a arruado e olhe atentamente para suas casinhas tão cheias de historia de coragem e destemor, a bela e emblemática igrejinha que encanta a todos, os monumentos em memória dos valorosos nazarenos combatentes do cangaço, o cemitério; ali repousam os restos mortais de muitos dos mais destacados filhos daquele chão. Nazaré não se visita, se vive!

Tento a brisa suave do sertão e o sol a pino por testemunha, cumprimentar as famílias que ali ainda moram e vivem é como abraçar cada um daqueles que um dia dedicaram boa parte de suas vidas ao combate ao banditismo rural de nosso nordeste. Ali estão os "encardidos nazarenos", homens que a coragem beirava a loucura, a esses vamos mais uma vez prestar nossa justa homenagem, que venha o Cariri Cangaço Centenário de Nazaré.  "Tivemos realmente um dia cheio e extremamente positivo. Em Nazaré temos uma equipe de coordenação de nosso Cariri Cangaço, formada pelo Rubelvan, pela Mabel, pela Nancy, pela Amélia e o Conselheiro Serafim, além de muitos outros companheiros como o Gilson Nazaré, o Maelbe, o pessoal talentoso e comprometido das escolas, enfim, teremos um grande evento dentro das celebrações do Centenário." Ressalta Manoel Severo.  Já Manoel Serafim destaca:"Aqui em Nazaré teremos uma agenda intensa durante todo o dia 14 de outubro, que será um sábado, homenagens, palestras, visitas, apresentações artísticas, culinária, teatro e muitas outras surpresas; sem dúvidas uma festa que irá reunir os amigos de todo o Brasil e acima de tudo os nazarenos que estão de todo o país. A programação tá cheia de novidades mais não vamos divulgar ainda..."